Olhos de fim de tarde

yukizakura2ba2bbela2bcombinac3a7c3a3o2bda2bneve2bcom2bo2bsakura2b9

Nevava, e lá ele estava

Encostado na beirada da porta

Olhando o horizonte fixamente

Como se aquele cenario pudesse desvendar

Quais linhas seguir naquela estrada

Coberta pela falta de vida de um branco que se apresentava

Seus olhos refletiam a cor 

Era um alaranjado apagado

Um roxo funebre

e por fim… 

Escuridão

E diante da paisagem branca, 

repousou

Com as pétalas da cerejeira 

caindo e aquecendo um sono do qual não iria mais acordar

Porque eu defendo as crianças com Microcefalia?

Eu resolvi escrever isto antes que venham me acusar de algo que não penso ou sou.  Para começar comecei a ser porta voz deste grupo até então desconhecido pela massa sem querer. Mas já que as coisas seguiram assim eu aceitei de bom grado. Afinal, um dos papeis do jornalista é ser o porta voz de pessoas e logicamente histórias que ninguém conhece. Fora dar todos os lados de uma mesma moeda.

E mesmo que não sendo médica ou especialista no assunto, com o aumento do número de casos da Microcefalia eu comecei a ser procurada por conta de um livro que escrevi sobre esta má formação. Como sou portadora tal ideia de escrever um livro sobre surgiu quase naturalmente. Porém, não conto apenas a minha história neste livro. Mas, também a de outros 5 casos.

OK! Mas porque eu fiz isso?

Para puramente ajudar as pessoas a conhecerem a má formação.

Assim como eu, existem neste país a fora outros casos onde a Microcefalia se apresenta com menos impacto e assim o individuo consegue estudar, brincar se desenvolver, mesmo com algumas poucas limitações.

Hoje em dia a medicina está muito mais avançada do que na época em que nasci por exemplo. Temos entidades que ajudam crianças com necessidades especiais sem cobrar nada, como a AACD. Fora que eu conheço a Microcefalia por experiência propria e claro através de outros casos dos quais eu tive acesso e dos mais diversos.  E foi conhecendo estes casos que eu percebi que a frase…”A persistência é o caminho do êxito” pode ser facilmente aplicada nestes casos.

Crianças com microcefalia surpreendem e muitas vezes de um ponto de vista positivo. Eu sou prova disso, as filhas da Simone Tavares, a Patricia e a Adriana são prova disto, entre tantas outras crianças de mães que estão no grupo Pais de crianças portadoras de microcefalia do facebook são prova disto. E neste grupo acompanho a luta delas e sobretudo o amor delas com suas crianças, sejam elas como forem. E é por este amor e por ver que ali tem muita criança com mais força de viver que muita gente dita normal que eu defendo que sim, um portador de Microcefalia tem o direito de vir ao mundo e merece ser cuidado e acompanhado como se deve. Pois, eu sei que o impossivel é invisivel aos olhos daquele que acredita ser capaz.

 

Espero ter sido clara neste texto. Um beijo na alma!