De todos os loucos do mundo, escolhi você…

ddf

“De todos os loucos do mundo escolhi você, porque a sua loucura parece com a minha” e com essa música eu inicio meu texto especial do Dia do fã.

Hoje é um dia que eu me coloco como integrante. Algumas pessoas me questionaram ultimamente quem são as minhas inspirações. São tantas que passaria uma vida falando delas. Artistas da música e do cinema, escritores, jornalistas e diretores.  Sem contar os animes, sagas e séries, cujas histórias também trazem algum tipo de inspiração para mim .

Sou apaixonada por estas coisas. Muitos julgam futilidade, coisa de criança, adolescente, que seja! Mas só eu sei a importância que cada uma dessas coisas tem para mim.

Sou fã de artistas, animes, séries, sagas, livros, autores. Sou fã de tudo aquilo, usando as palavras de Renato Russo na música Sereníssima, desperta o meu desejo. Em outras palavras, sou fã daquilo que me inspira de alguma forma,  mas que meu coração por algum motivo escolha gostar.

Porém, não faço o tipo de fã histérica, que chora, grita, só diz ‘lindo’ e tudo mais. Eu sou daquelas fãs que procuram  acompanhar as novidades da coisa que gosta, ter tudo sobre, saber tudo sobre e que acima disso tudo,  tiram dessa admiração algo para a vida. De tudo que sou fã procuro tirar algo bom, um aprendizado para a vida. Por este motivo não me refiro a eles como ídolos, mas sim como exemplos,  sejam eles como profissionais ou pessoas que eu gostaria de ser um dia. Boa parte destes exemplos está na música e no cinema. A outra parte das minhas referencias estão nos animes, séries, livros e sagas  que vejo. Dos animes e ou mangás que vejo, posso citar Kamisama Hajimemashita, onde aprendi que as vezes  é preciso dar uma chance para alguém provar que é capaz de mudar. Inuyasha, que é outro anime que vejo e revejo quase que sempre mostra através do personagem principal que o amor é capaz de transformar até o coração mais arredio. E neste mesmo grupo de animes e mangás, também sou fã de Hiiro no Kakera, Kuroshitsuji, Hakuouki e Inu x Bolu SS.

Saindo deste grupo e indo para as séries, não perco um só episódio ou novidade sobre Supernatural e The Big Bang Theory. E antes disso já era fã de House M.D. Uma série que me apresentou Hugh Laurie, do qual me tornei fã também e descobri tempos depois que além de um ator brilhante é um exímio instrumentista.

Quanto as sagas, nem preciso dizer que sou PotterHead né? Sou fã de carteirinha da saga criada por J.K Rowling. Boa parte dos atores cinematográficos que gosto saiu dos filmes que foram inspirados em sua obra. E mesmo apesar de tanto tempo, Harry Potter ainda possui fãs que como eu, vê, revê e torce para a volta do jovem bruxo nas livrarias e nos cinemas.

Contudo, como disse anteriormente a lista é enorme. Ficaria uma vida toda falando dessas coisas que apesar de muitos acharem uma futilidade, são coisas e pessoas que Deus colocou no meu caminho com uma única finalidade: o de me fazer bem. Porque mesmo que eu não conheça a maioria deles, só de saber que eles existem já me basta. Afinal ser fã é isso, você gosta e na maioria das vezes nem sabe o porquê. Só gosta! E gosto é que nem aquele buraco… Que cada um tem o teu e temos mais é que respeitar!

E aos meus ídolos…

Se não fosse vocês não seria o que sou hoje e nem mesmo teria os valores que carrego comigo!

Logo…

Thanks!

Arigatô Gozaimasu!

Gracias!

Merci!

Obrigada!!!

Anúncios

TOP FIVE: músicas que não saem da minha playlist

fone

Tem música que não importa o quanto o tempo passe, elas continuam na nossa playlist, porque temos dó de tirá-las dali. Eu vou citar cinco das sei lá quantas músicas que permanecem não importa o momento na minha playlist diária.

Let’s Go… Baby!

1º) Highway to Hell – ACDC

Escutei essa música a primeira vez em 2007. Foi amor a primeira vista pela música e pela banda. E até então eu não possuia nenhuma banda de Rock favorita. ACDC veio para ocupar este lugar. E estou aqui até hoje sonhando em ver ‘in loco’ essa maravilha do rock internacional 🙂

2º) Sonho de uma flauta – O Teatro Mágico

Conheci o Teatro Mágico em 2008. Pude ir a um show deles em 2013. Conheci todos do grupo e ouvi essa música grudada na grade de frente para o vocalista. A letra e a melodia são apenas muito amor. É uma das músicas que me acalmam em dias de tempestade.

 3º) Perfect – P!NK

O que dizer, né produção? Alecia Moore é paixão, é amor, é diva, é inspiração da vida e esta música em questão é a minha favorita de todas as favoritas. A letra que nada mais parece que um protesto contra o preconceito estético e a busca da beleza perfeita tem um pouco das coisas que defendo. Resumindo, P!nk em boa parte de Perfect me definiu, apenas.

4º) Mais que um mero poema – Rosa de Saron

Rosa de Saron é para inicio de conversa uma banda de música católica, mas cujas letras na voz do vocalista Guilherme de Sá parecem ganhar vida de tanto que nos tocam. E a música Mais que um mero poema  é uma dessas músicas cuja a letra é forte e passa um recado atual sempre. Tratando da violência e do abandono social, Mais que um mero poema acaba por ser um poema cuja mensagem nada mais é que um protesto contra a desigualdade social.

5º) Hallelujah – Jeff Buckley  

Se você pensou na música do filme Shrek, acertou. É ela mesmo, porém a versão do Jeff não é a versão do filme e ao contrário do que alguns pensam ela não é uma música gospel. Hallelujah é uma declaração de amor de um homossexual para o seu pretendido parceiro. Ou seja, nem preciso dizer que gosto dela justamente por ser uma música que aborda o amor como ele é, sem distinção de raça, credo ou no caso, orientação  sexual.

Essas são só cinco das músicas que nunca saem da minha playlist. Cinco músicas de uma lista que vai de Ney Matogrosso à Cazuza, Guns N’ Roses à Diogo Nogueira e de Tom Jobim à Elvis Presley.

” Sem a música a vida seria um erro” 

                                          – Nietzsche