Carta aberta à Deus

Nesses últimos dias tenho refletido sobre mim. Meditado sobre lembranças, coisas que já passei, escutei, vivi. Meditado em torno do mundo que conhecia.

Até dois meses atrás  o mundo se voltou para a minha história. Toda a mídia veio ao meu encontro para saber como superei uma síndrome, que na verdade ainda não deixou de existir. E durante todo esse tempo vesti minha máscara e fingi sorrir. Fingi estar bem porque pessoas precisavam ter algo que eu já não tinha. Precisavam ter esperança! Superei as adversidades físicas de tal síndrome, mas não as palavras  que por causa dela escutei. E como se não fosse o bastante, alguém que eu confiei tudo isso e que parecia ser meu amigo se mostra exatamente o inverso. Isto foi mais do que o suficiente. Perdi qualquer animo de me relacionar com quem quer que seja. Me tranquei por meses no quarto. Saia pouco, só por obrigação, inventava desculpas para recusar convites, não queria contato com nada, nem ninguém e pensei por varias vezes em suicido, tamanha era a dor que esta ultima decepção tinha me causado . Eu até hoje me pergunto o que deu nele para fazer o que fez. Fingir por tanto tempo ser meu amigo e depois vir dizendo que não gostava de mim. Tudo isso acabou comigo, porque quem me conhece sabe que não sou muito boa para fazer amizades e que me apego facilmente quando acontece de alguém por livre espontânea vontade querer algum tipo de amizade comigo. Enfim, entrei em depressão depois disso. Larguei gostos, larguei mão de companhar até artistas que acompanhava. Deixei de acreditar em tudo e como se fosse um ultimo suspiro, Deus, eu te pedi: Seja como for, só me leve. Não quero mais continuar aqui. Fiquei duas semanas pensando em um jeito de tornar tudo mais rápido e de uma forma que meus pais não interferissem. Por sorte, todas as coisas que pensei deu errado. Foram meses fechada e ninguém se quer desconfiou, Meu Deus o que acontecia. Era só Contigo que eu me apegava e implorava que me desse coragem suficiente para acabar com a minha vida. Mas, Tu não me escutou.  Pelo menos não o que pedia. Fez melhor, colocou um de seus servos em meu caminho. Um sacerdote, alguém que fez que eu saísse de casa e voltasse ao lugar que eu tinha conhecido aquele que mais me fez mal. Um lugar que eu havia jurado não retornar.  Uma pessoa que reforçou minha fé em ti , Deus. Uma pessoa que hoje chamo de pai, mesmo que a idade seja de um irmão mais velho. Alguém que tem me ajudado a lidar com essas tristezas que aos poucos estão se curando. Deus, quando te pedi a morte, Você me deu a vida novamente. E eu agradeço infinitamente por isso!

Hoje voltei para a Sua casa. Estou de volta a Igreja. Tu me destes um pai, alguém que eu posso confiar e que me aconselha quando preciso. Me trouxe de volta a vida, me trouxe de volta o ânimo e me tem dado a oportunidade de conhecer pessoas novas, de reescrever minha história e de ajudar tantas outras pessoas com ela. E mesmo que eu disfarce para o mundo, a depressão ainda está por aqui, ela ainda se manifesta quando nada me anima, só que ainda sim lhe agradeço Deus. Pois, hoje se eu cair, Tu irás me levantar. E se eu não levantar, permanecerás ao meu lado até que eu me fortaleça novamente. Pois, Ninguém, e hoje eu sei disso, Me ama como Vós! E Este amor, hoje, Deus, eu lhe afirmo, é reciproco! E tudo que eu puder fazer em Tua Casa, Deus, eu farei para ti. Por amor, por gratidão e sobretudo, porque sei que és, meu Melhor amigo!

Obrigada!

E…

Não me deixe desistir, não me deixe desanimar, não me deixe voltar atrás… SENHOR!

Anúncios